Neste blog vou deixar os trabalhos que for realizando neste ano de Psicologia B. Aqui podem encontrar powerpoints, resumos e críticas a filmes vistos nas aulas. Circulem pelo menu para encontrarem o que desejam. Sugestões são sempre bem-vindas.
Domingo, 13.12.09

Nas aulas de Psicologia tivemos oportunidade de ver mais um filme: Memento, de Christopher Nolan.

 

Sinopse
Leonard tem como único objectivo apanhar e punir o homem que violou e matou a sua mulher, mas está limitado por uma estranha incapacidade de formar memórias recentes devido ao violento ataque que sofreu naquele momento. Alguém que tenha conhecido, ou qualquer coisa que tenha feito depois, simplesmente desaparece da sua memória. Mas a isso não o impede de continuar, utilizando o seu próprio corpo como um bloco de notas onde várias tatuagens o ajudam a relembrar as várias peças do puzzle que vai reconstruindo.
(retirada daqui)


 

Comentário Pessoal

 

Este filme mostra-nos a importância da memória e levanta algumas questões como por exemplo, qual a diferença entre o protagonista e um animal?

Chegamos também à conclusão que o único momento em que temos acesso a um "registo" mais fiel da realidade é no instante em que a percepcionamos. Depois disso tudo se torna memória - que é subjectiva.

O protagonista, Leonard, também tem essa capacidade de percepcionar a realidade mas sendo incapaz de criar memórias perde a noção de sentido, a capacidade de julgar e tomar decisões. No entanto, Leonard não age por instinto, não é nenhum sociopata, isto porque "apenas" perdeu a memória a curto prazo mantendo toda a sua educação moral.

O filme faz-nos também questionar sobre o conceito de passado, presente e futuro. Sobre isso cito Santo Agostinho:

"É impróprio afirmar que os tempos são três: passado, presente e futuro. Mas talvez fosse próprio dizer: os tempos são três: o presente das coisas passadas (...), o presente das presentes (...) e o presente das futuras (...). Existem, pois, três tempos na minha mente que não vejo em outra parte: lembrança presente das coisas passadas, visão presente das coisas presentes e esperança presente das coisas futuras."

No geral, gostei bastante do filme por dar espaço para a reflexão. É um filme com avanços e recuos na história que se pode tornar muito confuso se não atentarmos a todos os pormenores para reconstruirmos o quebra-cabeças. Dispensava algumas das cenas mais violentas mas isso é uma questão de gosto pessoal.

Recomendo o filme a todos vocês.

 

sinto-me:
publicado por Babs às 10:54 | link do post | comentar | favorito
ana rita a 13 de Dezembro de 2009 às 13:27
Eu também já vi este filme! Gostei imenso. :)
Beijinhos
Babs a 13 de Dezembro de 2009 às 19:55
E percebeste o final? Eu no final fiquei assim: "o quê? isto já acabou e eu ainda não percebi nada" mas depois compreendi mais ou menos.
A autora
Babs, 12º B
pesquisar neste blog
 
"Aprender é a única coisa de que a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende." Leonardo da Vinci
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
arquivos