Neste blog vou deixar os trabalhos que for realizando neste ano de Psicologia B. Aqui podem encontrar powerpoints, resumos e críticas a filmes vistos nas aulas. Circulem pelo menu para encontrarem o que desejam. Sugestões são sempre bem-vindas.
Domingo, 15.11.09

A propósito do tema da Cultura tivemos oportunidade de ver o filme "Nell" nas duas últimas aulas de Psicologia (dias 10 e 12). Para quem gostar de bons filmes, daqueles que no final nos deixam a pensar, aconselho que se dirijam ao clube de vídeo ou loja mais próxima e aluguem/comprem este filme.

 

  

 

Sinopse - retirada do dvdpt

Ela é inocente assim como é linda, e livre tal como as criaturas da floresta que a rodeia. A vencedora de dois Oscares Jodie Foster presenteia-nos com uma forte, apaixonada e inesquecível representação como Nell - uma jovem mulher intocada pela sociedade moderna - nesta jornada cativante através da mente e do espirito, que nos atravessa até ao coração. Um filme radiante e inteligente, não só devido ao seu elenco e fabulosas representações, mas também à cinematografia capaz de nosa tirar a respiração. Nell é um filme sensível e belo, que dificilmente será esquecido.

Juntamente com a sua mãe, Nell (Foster) leva uma vida rústica e selvagem nas selvagens Smoky Mountains. Mas quando a sua mãe morre e dois médicos citadinos (Liam Neeson e Natasha Richardson) se intrometem na sua pacifíca vida, Nell é repentinamente forçada e introduzida no mundo exterior - um lugar repleto de extraordinárias experiências novas, e de perigos inimagináveis.

 

Pequeno comentário pessoal

"Nell" começa com a descoberta de uma mulher selvagem - a protagonista Nell - que chama a atenção dos meios de comunicação e de estudiosos e mostra a problemática deste tema, na maioria das vezes de modo poético e algo alegórico - isto porque também as outras personagens têm os seus traumas e angústias que os fazem quase tão deslocados quanto a protagonista.

O filme faz-nos reflectir sobre a importância do meio cultural no nosso desenvolvimento enquanto indivíduos e seres integrados numa sociedade. Também nos mostra uma protagonista que por ter sido privada do contacto com o mundo, vive de acordo com os seus instintos, com os sentimentos básicos como o medo ou a vontade de aprender no seu convívio com os dois médicos que a ajudam.

Um filme a rever.

 

 

publicado por Babs às 21:38 | link do post | favorito

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

A autora
Babs, 12º B
pesquisar neste blog
 
"Aprender é a única coisa de que a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende." Leonardo da Vinci
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
16
17
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
arquivos
subscrever feeds